26 out
por Patida Mauad 0 Comentários

Panc

Rachel Zacarias nossa colaboradora de Comida Viva vai se ausentar do blog por motivos pessoais. Foi demais te la por aqui. Obrigada querida por me apresentar a Cris, estou feliz com a chegada dela na nossa embarcação.

E assim nos conhecemos. Iniciamos nosso contato via Whatsapp, fiz o convite e ela elegantemente topou. Semanas depois fui a MG e ao vivo nos conhecemos, gravamos um vídeo que vai jájá pro youtube, de cara me identifiquei. Cris é linda sorridente, cara de menina e com um currículo invejável. Fiquei lisonjeada por ela topar, suas funções são muitas e ter um tempinho para dedicar ao patida.com é um luxo. Obrigada.

Ela não falou, mas eu soube por ai, rs. Ela é formada em Gastronomia, está finalizando MBA de Gestão em Gastronomia e Hotelaria.

Conheci a Panc logo depois de conhecer Rachel.

Seja bem vinda!

Apresenta-se ai Cris…

Eu sou Cris, sou mãe, sou mulher e de resto eStOU. Foi buscando fazer da minha existência algo que fizesse a diferença que me deparei com a tese de doutorado do Valdely Kinupp, que cunha o termo PANC e explana de forma direta, objetiva e sem “papas na língua” o que é PANC, cita algumas espécies e esclarece a importância das plantas alimentícias não convencionais.

Quando li esse tese de doutorado minha cabeça girou! Jamais poderia imaginar que poderia comer algo diferente que um supermercado estaria me oferecendo. Nesse momento percebi que deveria mudar radicalmente de vida e pesquisar mais sobre o assunto. Entender porque essas plantas não fazem parte da nossa rotina de consumo, porque muitas deixaram de fazer parte da nossa cultura alimentar e achar um jeito de (re) inserir as PANC no mercado. Meu desejo é que cada pequeno e grande produtor tenham a oportunidade de aumentar o seu mix de produto e consequentemente aumentar a renda. Quando essas PANC deixarem de ser Não Convencionais e se tornarem convencionais, tenho certeza que, nós consumidores, teremos acesso a uma maior variedade de nutrientes para o nosso organismo, sairemos da monotonia de sabores e texturas e estaremos contribuindo para uma agricultura mais sustentável e um consumo mais consciente.

Uma das formas que escolhi para inserir as PANC no cotidiano, foi através do @eidqui, um acrônimo para Escolha Inteligente do Quintal, onde eu posto fotos no Instagram de receitas fáceis e rápidas, dignas do dia-a-dia bem comum, contendo as algumas PANC.

O conceito de PANC abrange desde plantas alimentícias não convencionais (verduras, frutas, legumes, raízes, tubérculos, sementes…) que não encontramos nos mercados, feiras e no comércio em geral, assim como partes de alimentos tradicionais, mas que não consumimos, como por exemplo, a banana verde. Já ouvimos muito sobre os benefícios da biomassa da banana verde, só que a banana verde tem outras utilizações, podemos consumir em forma de farinha, frita ou como base de uma sopa para os dias frios. Super simples e rápida:

Oba já vem com receitinha fresquinha!

CALDO VERDE PANC

INGREDIENTES

2 bananas verdes

1 cebola

3 dentes de alho

1 tomate grande

Páprica doce

1 folha de caapeba média (Piper umbellatum)

Um maço de capiçoba (Erechtites valerianifolius)

E flores de begônia para decorar.

MODO DE PREPARO

Higienizar as bananas verdes, cebola, alho e as folhas.

Cozinhar as bananas verdes em uma panela de pressão, com a quantidade de água suficiente para cobrir as bananas. Marcar 8 minutos depois que começar a pressão, desligar o fogo e deixar a pressão sair naturalmente.

Em um liquidificador, colocar as bananas ainda quentes e sem casca e 1 litro de água. Bater até obter um líquido homogêneo.

Picar a cebola, alho e o tomate, refogar no azeite. Acrescentar a banana verde batida. Deixar ferver e temperar com o sal e a páprica. Deixar ferver para incorporar bem os temperos e desligar.

Picar as folhas bem picadinhas e acrescentar à sopa assim que desligar o fogo.

Servir e decorar com as flores.

Por Cris Schittini

Confira os posts relacionados

Deixe seu comentário

instagram
© 2018 Patida MauadDesenvolvido com por