23 maio
por Patida Mauad 0 Comentários

Um dia perfeito em Floripa por Regina Bortolon Coulthard

Conhecemos-nos por indicação de uma amiga em comum, quando buscava representante no sul, para nossa Camisaria Marfim, nos anos 90, trabalhamos juntas por um tempo e nunca mais nos separamos. Me lembro da Fernanda, dizendo vocês vão se apaixonar… Regina é amiga e irmã, mulher luz.

Vivemos e compartilhamos tantas histórias na vida… Obrigada Re por esse roteiro lindo. Te amo!

Um dia Perfeito em Floripa

Moro no Rio Vermelho, na costa leste da ilha e é aqui que Patida se hospeda sempre que vem à Floripa. Acordamos cedinho, como é de costume, junto com os macaquinhos, os passarinhos e as borboletas. No céu de um azul profundo nenhuma nuvem.  O vento ainda não entrou.

Partimos no meu carro para a Barra da Lagoa e estacionamos na Cidade da Barra, em frente ao Projeto Tamar, evitando a muvuca do centrinho da Barra. O estacionamento tem sombra e ducha.

Na metade do trajeto de 30 passos até a praia tomamos caldo de cana vislumbrando os verdes do morro e do mar.  Desjejum saudável e energético. A praia está perfeita para nossa caminhada: maré baixa, areia plana, firme e praticamente vazia. Caminhamos em direção ao Moçambique. Até o camping são 30 minutos num ritmo bom. O nosso é. Nem sentimos o tempo passar, tagarelando até lá e de volta. A gente sempre tem muito assunto! paisagem

Visitamos o Projeto Tamar e passamos pela lojinha, claro! Tem coisas muito legais. Para si e para comprar os presentinhos que ela sempre quer levar.

Nosso próximo destino é a praia Mole. Minha preferida. A praia informalmente se divide assim: no canto direito fica a galera do esporte e da saúde, no meio os turistas que gostam de serviço e movimento e no canto esquerdo a comunidade GLBT. Fica fácil encontrar sua turma. Sou frequentadora do canto direito e faço incursões ao canto esquerdo em dias mais animados.

FloripaParamos no estacionamento no Gravatá Esporte e Saúde antigo Aragua, um complexo que inclui lanchonete de comidinhas naturais com opções veganas e vegetarianas, área de massagem, aulas de surf e yoga, loja de surf, estacionamento de bike, chuveiro, banheiro, espaço kids e área de descanso e contemplação. É tudo muito civilizado e cuidado. A vista é de tirar o fôlego e contemplando a paisagem – que inclui eye-candies, tomamos o café da manhã antes de descer para a praia. Tem gente voando de asa delta e parapente, tem gente surfando, velejando de kite e fazendo SUP, correndo e caminhando.

A praia é limpa e o mar claro. A vibe é boa e muito relax.

Passamos boa parte do dia assim, entre um mergulho e outro e quando a fome bate ficamos na dúvida: almoçar o prato-feito vegetariano e delicioso do Aragua ou ir atrás de uma comida manézinha?

Optamos pelos frutos do mar e depois da ducha pegamos o caminho de volta em direção ao Rio Vermelho. No meio da reserva florestal tem uma grande placa que diz: Terminal Lacustre Comunidade Costa da Lagoa. Saímos da estrada principal por uma estradinha de terra em meio a reserva que nos leva para a beira da lagoa da Conceição. Ali a prefeitura opera um serviço de transporte aquaviário que atravessa a lagoa até a Costa, aonde só se chega a pé ou de barco (dá para fazer o mesmo passeio saindo do terminal ao lado da ponte, no centrinho da Lagoa).

A travessia de uns 10 minutos tem um visual incrível e ao longo da Costa há vários pontos de parada e restaurantes de famílias locais servindo pratos típicos da culinária tradicional da ilha. É só avisar o barqueiro onde você quer descer.

Meu favorito é o Paraiso. Escolhemos uma mesa na ponta do trapiche e tudo que se vê é água, céu e muito verde. O serviço da família da Néia, proprietária do Paraíso, é impecável, assim como os pratos – deliciosos, honestos e bem servidos.

Para um ambiente um pouquinho mais sofisticado tem o Cabral, também com comida maravilhosa.

Esquecemos da vida naquele trapiche, tomando uma cerveja sempre muito gelada.

O último barco sai às 19:00 nos meses de alta temporada e às 17:00 fora dela. Atravessamos felizes e leves e vamos até o Moçambique. Chegamos bem a tempo de ver a lua cheia surgir do mar sem interferência de luz artificial, pois a praia do Moçambique fica dentro da reserva florestal e é protegida e selvagem. Espetáculo lindo e emocionante.

Em 15 minutos estamos em casa. O banho de piscina tira o sal e os jatos fazem uma massagem gostosa.

feriasContinuamos no jardim até tarde, batendo papo, e quando o cansaço e a fome batem ligamos para o Red lanches e encomendamos o X-vegetariano de abobrinha. Absolutamente divino.

No total rodamos no máximo 1 hora de carro, sempre no contra fluxo, e nessa faixa de aproximadamente 12Km curtimos alguns dos lugares mais lindos da ilha da magia.

Barriguinha cheia, corpo energizado, coração apaixonado e alma lavada – assim terminamos nosso dia perfeito em Floripa.

A charmosa casa do jardim, onde me hospedo, está no Airbnb, sim você pode estar perto de tudo isso e mais!

Jardim

 

Confira os posts relacionados

Deixe seu comentário

instagram
© 2018 Patida MauadDesenvolvido com por