25 abr
por Patida Mauad 0 Comentários

Nadar é preciso!

Aos cinco anos aprendi nadar, sozinha, no mar, em Marataízes – ES, cidade que meus pais têm casa até hoje.

Mamãe conta uma história que compartilho com vocês.

– Patida quando você aprendeu a nadar deu trabalho nos primeiros dias.

-Por que mãe?

-Porque você sumia no mar indo longe longe. Eu se seu pai ficávamos loucos.

“Abib olha a Patida onde está…” Lá ia ele te buscar. Passava minutos estava você de novo lá longe, só víamos sua cabecinha.

Sentamos e decidimos… Deixa ela, ficamos olhando daqui, não vai adiantar.

Talvez já eu soubesse disso, rs.

Acredito que foi ai que iniciou meu grande amor pela água em todas as formas. Mar, piscina, chuveiro, cachoeiras, banheira, chuva e no copo, bebo muuuuuita água, desde sempre.

esperte aquático

Tento manter a natação duas vezes por semana no mínimo.

Fiz um trato com euzinha.

Mergulhou na piscina? Não sai com menos de 1000 mt alternando peito e crawl.

A sensação de quando saio é demais, tomo um delicioso banho gelado, sim, gelado, passo meu hidratante corporal, amo, sempre, saio me sentindo a mulher mais feliz do dia, rs.

Faço várias atividades físicas

Aos poucos irei compartilhando no #estilodevida

Nadar é terapêutico, me traz uma alegria indescritível, relaxa como um orgasmo para meu corpinho de 1,63.

Hoje em dia nado no Estádio do Pacaembu, São Paulo. A piscina é olímpica a céu aberto, gentexs de todos os tons, proporcionando encontros curiosos e divertidos, mães, pais com filhos, artistas, crianças, senhorinhas, adolescentes, empresários, estudantes, velhos do jeitinho que eu gosto. Fora os amigos que vira e mexe encontro.

As raias são separadas para quem vai treinar e quem, aos fins de semana, brincam.

A piscina é gratuita!

 Complexo Esportivo do Pacaembu

 

Confira os posts relacionados

Deixe seu comentário

instagram
© 2018 Patida MauadDesenvolvido com por